A ministra da Saúde confirmou, esta segunda-feira, a primeira morte por Covid-19 em Portugal. O anúncio foi feito numa conferência de imprensa conjunta entre o Governo e a Direção-Geral da Saúde (DGS). 

É com grande pesar que o Ministério da Saúde informa que faleceu hoje, no Hospital de Santa Maria, um doente que estava internado e que tinha a doença Covid-19", afirmou Marta Temido. 

Marta Temido apresentou, em nome do Ministério e do Serviço Nacional de Saúde (SNS), as "mais sinceras condolências" à família e amigos da vítima. 

Trata-se de um homem, de 80 anos, que tinha "várias patologias associadas" que se encontrava internado há vários dias no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

TVI sabe que se trata do antigo massagista, Mário Veríssimo, que trabalhou com o treinador Jorge Jesus no Estrela da Amadora. 

A ministra aproveitou a ocasião para agradecer o empenho dos profissionais de saúde do Centro Hospitalar Lisboa Norte no tratamento a este doente. 

Alertou os portugueses que têm de se "consciencializar dos riscos que correm" e que não podem permitir que a sociedade fique "destruturada"

Estamos num momento em que é importante que todos nos consciencializemos dos riscos que corremos e que um desses riscos é o risco de a nossa sociedade se destruturar e não podemos permitir que isso aconteça. Estamos num momento como se fosse uma guerra, e numa guerra temos que ter disciplina". 

 

A fatalidade com que hoje nos confrontamos e a gravidade daquilo que sabemos que é este momento devem fazer com que todos reflitam sobre aquilo que é esperado de cada um", acrescentou.

Questionada se Portugal tem condições para fazer o despiste a todos as pessoas que sejam consideradas como casos suspeitos, Marta Temido disse que o país "está a adaptar as práticas" às orientações que vai recebendo e à medida que o surto vai evoluindo.

DGS: "Vamos ter mais pessoas a falecer. Faz parte da história natural da doença"

Sobre os casos internados nos cuidados intensivos, Graça Freitas confirmou que existem, até ao momento, 18 pessoas nessa unidade e que "umas estão mais críticas que outras" sem revelar o número certo. A diretora-geral da Saúde admitiu ainda a possibilidade de mais mortes nos próximos dias, uma vez que isso "faz parte da história natural da doença".

Vamos ver como vai ser o desfecho. Todos sabemos que a taxa de mortalidade desta doença é superior a 2% em todo o mundo e, portanto, teremos nos próximos dias, e durante os próximos meses e nas próximas semanas, mais pessoas a falecerem. Faz parte da história natural da doença".

No entanto, ressalvou que o SNS tudo fará para reduzir o número de vítimas mortais ao mínimo.

Marcelo apresenta "sentidos pêsames" à família

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou esta segunda-feira a morte da primeira vítima em Portugal da pandemia do Covid-19, e apresentou "sentidos pêsames" à família.

O Presidente da República apresenta os seus sentidos pêsames à família da primeira vítima mortal da pandemia do Covid-19 em Portugal, cujo falecimento acaba de ser confirmado pelas autoridades de Saúde", lê-se numa mensagem publicada hoje no site da Presidência.

Também o primeiro-ministro apresentou condolências à família da vítima, dizendo que foi "com consternação" que recebeu a notícia da primeira morte em Portugal. "Este, que é um momento de respeito, deve servir também para reforçarmos a consciência coletiva dos riscos que corremos", acrescentou António Costa.

Em Portugal, 331 pessoas foram infetadas até esta segunda-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde.

Cláudia Évora / Atualizada às 17:30