Depois do fim da greve dos motoristas de matérias perigosas anunciado na quinta-feira, a normalidade começa a regressar aos postos de abastecimento de norte a sul do país. Foi isso mesmo que a TVI constatou em Lisboa e no Algarve, numa altura em que muitos portugueses se deslocam em férias de Páscoa.

Em Quarteira, por exemplo, todas as seis bombas de um posto de abastecimento estavam a funcionar na manhã desta sexta-feira.

O abastecimento fazia-se de forma bastante ordeira, com alguma afluência, o normal para este período da Páscoa, mas sem o caos que muitos portugueses vivenciaram nos últimos dias, um pouco por todo o país.

Em Lisboa, a reportagem da TVI num posto do Campo Grande que ontem tinha uma fila enorme de veículos a abastecer, constatou muito menor afluência neste feriado. “Ontem a fila ia até à Avenida do Brasil”, segundo o operador.

Agora, já há “muito” gasóleo e gasolina. Dois camiões-cisterna reabasteceram o posto esta manhã.

Um condutor contava que chegou a estar, nos últimos dias, duas horas à espera. Houve quem esperasse até mais, cinco ou mais horas.

Reposição de stocks decorre "a bom ritmo"

O presidente da Associação Nacional dos Revendedores de Combustíveis (ANAREC), Francisco Albuquerque, garantiu já hoje que a reposição dos stocks está a decorrer "a bom ritmo", confirmando que "já não se verificam filas para abastecimento nos postos".

O fim da greve não significa, como é óbvio, a normalização imediata desta situação de falta de combustível. É normal que possa haver ainda nas próximas horas alguma limitação de abastecimento em alguns postos para viaturas não prioritárias. O que é importante, neste momento, é que conforme esperado a reposição dos 'stocks' está a decorrer de uma forma normal e a bom ritmo, inclusive em algumas situações temos indicações de reforço de transportes".

Francisco Albuquerque disse ainda à Lusa que estima que no início da próxima semana a situação esteja "completamente normalizada".

Há postos completamente normalizados, há postos parcialmente normalizados e há postos ainda com alguma rutura de 'stocks'".

 Ainda há postos com o abastecimento condicionado, mas o cenário é muito mais calmo do que o caos dos últimos dias. 

A greve dos motoristas de matéria perigosas começou na segunda-feira e só terminou ao início da manhã de ontem, quinta-feira, depois de uma longa reunião de mais de dez horas entre o sindicato e a ANTRAM, com intermediação do Governo, chegando finalmente a acordo.