O Ministério da Saúde (MS) recuou em relação ao início da carreira de enfermagem, disse esta quarta-feira à agência Lusa fonte do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, que apela à mobilização da classe para uma greve ainda este mês.

«O Ministério da Saúde recuou relativamente à proposta que nos tinha apresentado na reunião de 08 de Janeiro no que diz respeito ao início na carreira da carreira de enfermagem», afirmou Guadalupe Simões, presidente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, depois de uma reunião com a tutela.

Guadalupe Simões disse que o ministério de Ana Jorge «propôs que, para os próximos quatro anos, os enfermeiros ingressem na carreira com o salário igual ao que ingressam hoje, que é de 1020 euros, e que, ao final de quatro anos, o ingresso na carreira passe a ser os 1201 euros».

Face a este recuo do Ministério da Saúde, o sindicato apresentou uma contraproposta, exigindo «o ingresso na carreira pela posição remuneratória 21, que são 1510 euros - que é o ingresso de outros licenciados na administração pública e abaixo de outros tantos -, e que, no imediato, sejam atribuídos 490 euros a todos os enfermeiros licenciados».

O Ministério da Saúde está a analisar a contraproposta apresentada hoje pelos enfermeiros: «Nós apresentámos uma contraproposta que o MS ficou de analisar e voltar a apresentar uma proposta, se assim o entender».

A sindicalista apela a que todos os enfermeiros se mobilizem «para fazer uma greve e uma manifestação no dia 29», em Lisboa.
Redação / CLC