O Tribunal de Guimarães deixou em liberdade um homem suspeito de ameaçar, injuriar e agredir a companheira grávida de 35 semanas, mas obrigou-o a abandonar a residência da vítima, anunciou hoje a GNR.

Em comunicado, a GNR acrescenta que o suspeito ficou sujeito a apresentações bissemanais no posto policial da área de residência, estando ainda proibido de se aproximar da vítima, uma proibição controlada por pulseira eletrónica.

O suspeito, de 27 anos, foi detido na quinta-feira em Guimarães por violência doméstica sobre a companheira grávida de 35 semanas.

Em comunicado, a GNR refere que o homem tinha ameaçado, injuriado e agredido a vítima.

Segundo a GNR, o suspeito “chegou a agredir a vítima na marquise da casa onde coabitavam”, partiu os vidros daquela divisão “com as próprias mãos, ferindo-se a si mesmo e à vítima”, sendo que a mulher precisou de tratamento hospitalar.

“No decorrer das diligências policiais apurou-se ainda que o suspeito exercia reiteradamente violência física e psicológica sobre a vítima, tendo-se verificado que os comportamentos agressivos tiveram um escalar de violência nas últimas semanas”, descreve o comunicado.

/ CP