A Polícia Judiciária (PJ) não consegue aceder a 10 dos 12 discos rígidos que apreendeu ao hacker Rui Pinto, depois das buscas realizadas na sua casa em Budapeste, na Hungria. A encriptação instalada pelo pirata informático está a ser um quebra-cabeças para as autoridades.

Os técnicos não conseguem desbloquear a encriptação de dados colocada por Rui Pinto, que protege dezenas de milhares de gigabytes de informação nos discos rígidos. A investigação acredita que se trata de informação roubada de sistemas informáticos alheios.

Ainda assim, a PJ conseguiu aceder a dois computadores e dois discos externos, que também foram apreendidos na casa de Rui Pinto, em Budapeste.

A informação é revelada pelo jornal Público, que teve acesso ao processo. Tal como a TVI adiantou em julho passado, está demonstrado que Rui Pinto monitorizou os mails de dirigentes do Benfica, nomeadamente Luís Filipe Vieira e Domingos Soares de Oliveira, presidente e CEO da Sad do Benfica, respetivamente.

O Ministério Público acusou Rui Pinto, colaborador do ‘Football Leaks’, por factos apurados na investigação relacionada com a tentativa de extorsão à Doyen e com acessos ilegais aos servidores do Sporting, disse esta quinta-feira à agência Lusa fonte judicial. O pirata informático está acusado de 147 crimes.