A TVI revela, no programa "Ana Leal" desta quinta-feira, um negócio ruinoso em que estranhamente o Estado decidiu entrar para salvar o BCP, um banco privado. Um negócio que vai custar 30 milhões de euros aos contribuintes e que envolve um empréstimo milionário do BCP, sem garantias, feito a empresários ligados ao antigo BPN de Oliveira Costa.

O processo de insolvência da herdade de Rio Frio é o exemplo do desnorte e da promiscuidade entre a banca e alguns empresários que a arruinaram. Houve de tudo: desde a compra de terrenos que não existem até à venda de propriedades que não foram pagas, mas que os lesados não tentaram recuperar.

O banco Millennium BCP, que emprestou 60 milhões de euros sem exigir garantias, diz agora que "não comenta operações que envolvem clientes".

A Parvalorem, a empresa pública que herdou os ativos tóxicos do BPN, também não quer comentar. Diz que a atual administração é recente e ainda está a analisar os dossiers.

O caso já foi denunciado ao Banco de Portugal e vai chegar também à justiça. O Banco de Portugal diz que "não comenta eventuais investigações", porque está obrigado ao segredo.

A TVI tentou ainda sem sucesso ouvir os empresários Fernando Fantasia, Emídio Catum e Oliveira Costa.