Um homem de 44 anos suspeito de ter atropelado a ex-mulher em frente dos filhos menores remeteu-se hoje ao silêncio, no início do julgamento, no Tribunal de Aveiro, disse à Lusa uam fonte judicial.

O julgamento está a decorrer à porta fechada a pedido do arguido, que requereu a exclusão de publicidade para proteger os três filhos menores do casal.

No período da manhã, foi ouvida apenas a vítima que pediu para prestar declarações com o arguido fora da sala de audiências, o que foi atendido pelo coletivo de juízes.

Depois da pausa para almoço, o julgamento prosseguiu com a audição das testemunhas de acusação.

O arguido, bancário, está acusado de quatro crimes de violência doméstica.

Os factos ocorreram no dia 13 de outubro de 2016, junto ao campo de futebol do Bonsucesso, quando a ofendida foi buscar os filhos, no final do treino.

Segundo a acusação do Ministério Público (MP), a mulher, quando chegou ao local, constatou que as crianças estavam com o pai, no interior do carro deste, tendo-se dirigido para junto da viatura, com o intuito de as ir buscar.

No momento em que a ofendida se aproximou da porta da frente, o arguido colocou o carro em andamento e saiu do local a alta velocidade, tendo embatido com o veículo no corpo da ex-companheira, que caiu ao chão, perdendo os sentidos, diz o MP.

A acusação refere ainda que o arguido "molestou o corpo e a saúde física e psíquica da ofendida e dos três filhos”, adiantando que os menores “passaram a sentir medo do progenitor e que este possa atentar contra a integridade física da mãe”.