A maior parte dos casos de disfunção eréctil deve-se a factores psicológicos e afectivos associados ao medo do envelhecimento, disse à Lusa o médico Carlos Costa Almeida na véspera do lançamento do livro «A Sexualidade do Homem depois dos 50».

O livro, do sexólogo canadiano Yvon Dallaire, aborda a sexualidade masculina após os 50 anos e recorda que, com o avançar da idade, «os homens tornam-se cada vez mais sensíveis aos factores psicológicos, emotivos e contextuais da sua vida sexual. Já não podem contar apenas com os seus impulsos», segundo uma nota acerca da obra.

O cirurgião vascular Carlos Costa Almeida, um dos participantes na sessão de lançamento na Livraria Minerva, em Coimbra, disse à agência Lusa que a disfunção eréctil é «o grande problema» entre os homens no processo de envelhecimento, situação que, contudo, também pode afectar indivíduos mais novos.

«Estatisticamente, a maior parte das vezes deve-se a factores psicológicos e afectivos, associados ao medo do envelhecimento», salientou o professor de Cirurgia Vascular na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.

De acordo com o médico, na origem da impotência sexual podem estar igualmente causas orgânicas.

«Vale sempre a pena ler estes livros. Ajudam os homens a perceber que não estão sozinhos. Há situações que não são definitivas. Se for do foro psicológico, poderão ultrapassar a situação, se forem causas orgânicas, em alguns casos poderão ser corrigidas», adiantou.

Na óptica do médico, «é bom falar-se e dizer que pode haver outros modos de sexualidade que sejam gratificantes».

«A Sexualidade do Homem depois dos 50» é o segundo título da colecção «As Cores do Saber», pensada para o grande público e na qual, «de uma forma prática e cerca de 96 páginas, a baixo custo, se tratam assuntos do quotidiano», de acordo com os editores da MinervaCoimbra, Isabel de Carvalho Garcia e José Alberto Garcia.
Redação / SM