Um arguido que em agosto de 2015 matou outro homem com uma faca de mato, agredindo ainda o filho e a mulher da vítima, foi esta quinta-feira condenado a 12 anos de prisão no tribunal Matosinhos, distrito do Porto.

Além disso, o coletivo de juízes obrigou o homicida, de 36 anos, a indemnizar em 113 mil euros os familiares da vítima mortal, de 47 anos.

O processo envolvia mais três arguidos, todos acusados de coautoria, tendo um deles sido sentenciado a dez meses de prisão efetiva por somar a quarta condenação e os outros dois – sobrinhos da vítima – foram absolvidos por não se provar o seu envolvimento nos factos.

O crime aconteceu a 10 de agosto de 2015 na esplanada de um café no Padrão da Légua, em Matosinhos, tendo a vítima sido golpeada com uma faca e o filho e a mulher agredidos.

Transportado para o hospital, o homem esteve internado até dia 18 seguinte, altura em que teve alta, mas voltou a ser hospitalizado e morreu seis dias depois em consequência de uma complicação provocada pelo esfaqueamento.

A acusação do Ministério Público (MP) referia que os sobrinhos da vítima – absolvidos -, revoltados com o tio, contrataram dois homens para o espancarem.

Mas os magistrados não deram como provada esta tese do MP, referindo não haver indícios suficientes de que o homicida tenha sido contratado para realizar o serviço, nem que lhe havia sido prometido dinheiro.