Duas mulheres foram identificadas e detidas pela presumível autoria de um crime de homicídio qualificado e de um crime de profanação de cadáver.

A detenção foi feita pela Diretoria do Sul da PJ, depois o Departamento de Investigação Criminal de Portimão ter recolhido indícios que permitiram identificar e deter as duas mulheres, com “19 e 23 anos, residentes no Algarve, social e familiarmente inseridas e sem antecedentes criminais”.

A TVI sabe que as suspeitas terão roubado o cartão de multibanco da vítima, tendo gasto o dinheiro do mesmo, e terá sido esse o motivo do crime.

De acordo com a Polícia Judiciária (PJ), em comunicado, os crimes ocorreram na região algarvia entre os dias 20 a 25 de março de 2020.

A vítima, um cidadão português com 21 anos de idade, residente no Algarve, foi desmembrada, tendo partes do corpo sido encontradas nas Zonas de Sagres e de Tavira", avançou a PJ.

A 27 de março, fonte da PJ confirmou à agência Lusa que foram encontradas partes de um corpo humano junto à Fortaleza de Sagres e outras em Tavira, “decorrendo a investigação para apurar a origem e se pertencem à mesma pessoa”.

No mesmo dia, fonte da Guarda Nacional Republicana indicou que para a zona circundante ao Pego do Inferno, em Tavira, foi acionada uma brigada da intervenção daquela força que, com o auxílio de cães pisteiros, tentou localizar, sem sucesso, partes do corpo encontrado no local.

/ RL