O suspeito de degolar a companheira, esta sexta-feira, em Leiria, ficou em prisão preventiva, apurou a TVI. O homem foi interrogado durante duas horas, este sábado, no Tribunal de Leiria. 

Um homem matou a mulher, de 35 anos, esta sexta-feira, com recurso a arma branca dentro do próprio apartamento no Centro Comercial Maringá, em Leiria. Os últimos andares deste estabelecimento são compostos por pequenos apartamentos.

O suspeito, de 35 anos e de nacionalidade brasileira, terá ligado às autoridades a confessado que tinha assassinado a esposa, também ela natural do Brasil. 

O homem estaria em Portugal há mais de nove meses e, ao que a TVI conseguiu apurar no local, o suspeito terá desabafado com os colegas de trabalho que algo não estava a correr bem dentro da família.

A PSP de Leiria quando chegou ao local, encontrou a vítima degolada, mas, alegadamente, ainda com sinais de vida. Foi acionada uma equipa do INEM, que a tentou reanimar, mas o óbito acabou por ser declarado no local. 

A porta do apartamento estava fechada e foi aberta pelos filhos da mulher, de dois anos e quatro anos. As crianças estão agora sob a responsabilidade da Comissão da Proteção de Crianças e Jovens.

O casal estaria a passar por uma fase má, registando-se algumas desavenças", revelou fonte policial citada pela Lusa, acrescentando que a PSP tinha sido alertada para discussões, "mas nada previa este desfecho" nem haveria suspeita de violência doméstica.

Depois de matar a mulher, que morreu no local apesar das manobras de reanimação, o suspeito pôs-se em fuga, vindo a ser detido pela GNR, após se despistar no Itinerário Complementar 2 (IC2), em Pombal.

O suspeito foi encontrado após se ter despistado na viatura que conduzia e foi detido ao quilómetro 144,5, na zona de Travasso, Pombal", referiu fonte da GNR, esclarecendo que o suspeito não apresentava ferimentos nem ofereceu resistência no momento da detenção.

Oarguido não tinha antecedentes criminais.

Estiveram no local do crime, os bombeiros municipais, a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) e a unidade de psicólogos do INEM, num total de nove elementos e quatro viaturas, segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro de Leiria.

Ao local deslocaram-se ainda PSP e Polícia Judiciária.