Uma investigação da TVI recolheu mais casos sobre o caso do homicídio de Valentina.

Os moradores da Atouguia da Baleia tinham pouco contacto com o pai e a madrasta de Valentina, mas dizem que era frequente o casal discutir e referem mesmo que, nos dias anteriores ao crime, ouviram gritos e choro de crianças.

Sandro, Márcia e três filhos viviam na Atouguia da Baleia há cerca de um ano numa casa que estava alugada à mãe de Márcia,  que está emigrada na Bélgica.

Mas, por ali, pouca gente os conhecia. À TVI, os vizinhos contam que no dia anterior ao desaparecimento de Valentina ouviram gritos e choro de  crianças. Os relatos de violência já vêm de trás: antes de viverem nesta vila, o pai e a madrasta de Valentina viveram em Peniche, onde os vizinhos ouviram várias vezes discussões e ofensas de Sandro à companheira.

Por essa razão, estranhou-se a calma aparente de Sandro quando a filha estava supostamente desaparecida.

Sandro e Márcia ficaram em prisão preventive e a casa na Atouguia da Baleia ficou vazia, exceção feita para quando alguns familiars vieram buscar pertences do casal.

A madrasta de Valentina tem três filhos: um de 12, outro de quatro e um bebé de sete meses. O rapaz mais velho está a viver com o pai e as duas mais novas foram entregues a uma tia que não tem condições económicas para cuidar das crianças e precisa da doação de alimentos e produtos de higiene.

Andreia Jorge Luís