O grupo de homossexuais católicos «Rumos Novos» regozijou-se, esta terça-feira, com o compromisso do líder do PS de avançar com o casamento entre pessoas do mesmo sexo, escreve a Lusa.

«O assumir de um tal compromisso denota um país apostado na modernidade, mas sobretudo na tolerância, igualdade e respeito pelos direitos de todos os seus cidadãos, independentemente da sua orientação sexual», refere o grupo em comunicado.

O «Rumos Novos» considera que «o compromisso e posterior aprovação do casamento entre pessoas do mesmo sexo é a coisa certa a fazer».

«O casamento entre pessoas do mesmo sexo assinala a dinâmica viva da democracia do século XXI, ou seja, o direito do acesso à protecção legal do Estado de todos os cidadãos, independentemente da tradição sociocultural religiosa, classes sociais, cor, orientação sexual», refere o grupo, adiantando que todo o cidadão português tem de ter o mesmo acesso ao uso dos direitos do Estado laico, neste caso, o casamento.

Opus Gay quer casamento primeiro e adopção mais tarde

Na opinião do grupo, «é imperioso que o poder político assuma, de forma clara, que numa sociedade livre, democrática, justa e defensora dos direitos humanos, todos os cidadãos podem amar quem quiserem e podem exprimir esse amor na sociedade, na igreja e no mundo».

Por outro lado, o grupo homossexual católico apela ainda à hierarquia da Igreja Católica para que participe de forma activa e empenhada no debate que irá ter lugar, evitando atitudes de discriminação face aos homossexuais, fiéis ou não.

«A questão do casamento (e não do matrimónio) entre pessoas do mesmo sexo e a Igreja é acima de tudo uma questão de verdade e não tanto de moralidade ou de disciplina e a Bíblia, ao contrário do que muitos afirmam, nada diz acerca dos relacionamentos responsáveis, afectivos e fiéis entre pessoas do mesmo sexo, que desconhece em absoluto», acrescenta.
Redação / CP