As unidades hospitalares da região Norte têm 34 camas de cuidados intensivos (UCI) destinadas a doentes covid-19 ocupadas e 102 de enfermaria, revelou esta segunda-feira a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-Norte), acrescentando que este número é “dinâmico”.

Em declarações à agência Lusa, a ARS-Norte afirmou que estão internadas 34 pessoas com covid-19 em unidades de cuidados intensivos (UCI) e 102 em enfermaria.

Quanto à taxa de ocupação nas unidades hospitalares da região, a ARS-Norte disse ser “muito difícil” estimar esse número, uma vez que o número de camas destinado aos doentes com covid-19 é “dinâmico” e as unidades de saúde “tanto podem aumentar como reduzir” o número de camas destinadas a estes doentes.

Na sexta-feira, o relatório de situação da Direção-Geral da Saúde (DGS) revelava que Portugal continental tinha cerca de 55% das camas de cuidados intensivos destinadas a doentes covid-19 ocupadas, quando há cerca de um mês essa taxa de ocupação rondava os 20%.

Uma análise aos relatórios semanais da análise de risco da pandemia permitiu constatar ainda que, desde 3 de abril e durante 10 semanas consecutivas, os internamentos em UCI apresentaram uma evolução decrescente, que se inverteu no início de junho, quando se começou a registar uma “tendência crescente” do número de camas ocupadas.

Os dados divulgados pela Direção-Geral da Saúde e pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) evidenciaram também uma alteração no perfil etário das pessoas que necessitaram de cuidados continuados ao longo dos últimos meses.

Se em abril, o grupo etário com maior número de internamentos em UCI era o dos 70 aos 79 anos, os dados indicam que, em maio, os casos mais graves da doença passaram a ser, maioritariamente, na faixa entre os 60 e 69 anos.

Já em junho, as unidades de cuidados intensivos passaram a receber mais doentes entre os 50 e os 59 anos e, já este mês, o grupo etário com maior número de casos de covid-19 internados em UCI baixou para o das pessoas entre os 40 e os 59 anos.

Entre novembro de 2020 e meados de março deste ano, os internamentos em UCI nos hospitais de Portugal continental estiveram sempre acima do limite definido de 245 camas ocupadas, atingindo o máximo em fevereiro, num dos períodos mais críticos da pandemia, com um pico de cerca de 900 pessoas nestas unidades.

/ AG