O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) anunciou esta sexta-feira a realização de uma greve geral a realizar dia 26 de abril nos turnos da manhã e da tarde nos três hospitais do Médio Tejo: Abrantes, Tomar e Torres Novas.

Em comunicado, a direção regional de Santarém do SEP apela à presença na porta dos três hospitais que constituem este Centro Hospitalar (CHMT) dos enfermeiros que não estão em cuidados mínimos, tendo anunciado também a realização de uma concentração junto ao Hospital de Torres Novas no dia 23 de abril.

Em causa, sustenta o SEP, estão as «sucessivas reuniões com o conselho de administração e a contínua não resolução de problemas graves que afetam o desempenho da enfermagem, colocando em risco a qualidade e segurança dos cuidados aos utentes».

No documento, os enfermeiros exigem, entre outras medidas, o «fim das alterações sucessivas de horários e utilização de circular interna ilegal na aferição de horários, o fim das bolsas de horas ilegais, devendo o Centro Hospitalar cerca de 10.000 horas aos enfermeiros, e, sobrecarga de trabalho, com recurso sistemático a trabalho extraordinário não pago, que imputa aos profissionais um cansaço extremo».

No comunicado, assinado pela enfermeira Helena Jorge, do SEP, «reclama-se ainda o fim do assédio moral persistente a enfermeiros, situações de coação e implementação da política do medo e da mobilidade constante de profissionais, sem cumprimento das formalidades legais».

O Sindicato refere ainda no documento ser «inadmissível a discriminação salarial e do regime de trabalho existente» entre enfermeiros, reclamando o seu reposicionamento salarial para as 35 horas semanais e para o nível remuneratório adequado, com efeitos a partir de janeiro de 2013.