O apelo chegou de uma enfermeira das urgências do Hospital do Montijo, a trabalhar 12 horas por dia, há vários dias seguidos. Pedia água, porque o bar do hospital fechou e, quer os profissionais de saúde, quer os auxiliares, não podiam sair para ir comprar.

Se quiséssemos sair para comprar, tínhamos de tirar os fatos de proteção e tomar banho. Em termos logísticos não seria possível. A água era o que fazia mais falta”, explica a enfermeira Ana Veiga.

Os pedidos multiplicaram-se nas redes sociais e agora água e comida não faltam neste serviço. Hipermercados e particulares entregaram, em poucas horas, o que fazia falta.

A TVI falou com uma das pessoas que se juntou à causa e, sem querer ser identificada, garantiu que era impossível ficar indiferente ao apelo.

Fiquei incrédula. Estamos nesta situação e estas pessoas não tinham água para beber? Quando entreguei as águas a reação de quem recebeu foi de agradecimento profundo”

Nesta altura, o trabalho nos hospitais multiplica-se e os pedidos também.

O Hospital do Barreiro apelou esta terça-feira ao donativo de alimentos e material de proteção.

Cátia Esteves