As comissões de utentes de saúde do Seixal e Almada mostraram-se esta sexta-feira desagradados com a possibilidade de concessão a privados das Urgências Pediátricas do Hospital Garcia de Orta e pediram uma reunião urgente à ministra da Saúde.

A ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou recentemente, na Assembleia da República, a possibilidade da concessão da urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta, em Almada, ser entregue a uma empresa privada de prestação de serviços.

Em declarações à agência Lusa, o representante da comissão de utentes do Seixal, José Lourenço, mostrou desagrado com a situação e explicou que as declarações da ministra causaram “surpresa” aos utentes porque essa “hipótese que nunca tinha sido colocada nas reuniões que tiveram”.

Segundo José Lourenço, os utentes “nunca se opuseram que fossem contratados, pontualmente, serviços privados”, mas sublinhou que esta “não é uma solução viável para funcionar 24 horas por dia num hospital do Serviço Nacional de Saúde (SNS)”, apontando que “a solução devia ser encontrada dentro do próprio SNS”.

O representante da comissão de utentes do Seixal ressalvou que “estes utentes defendem o SNS” e que o mesmo “não pode estar dependente de serviços privados”.

De acordo com José Lourenço, as comissões de utentes de saúde do Seixal e Almada estão à espera de uma resposta do Ministério da Saúde para uma reunião com a ministra, que terá como principal objetivo mostrar a surpresa que as declarações da governante causaram aos utentes e o seu desagrado relativamente a esta possibilidade.

Desde novembro que a urgência pediátrica deste hospital do distrito de Setúbal tem encerrado diariamente no período noturno, entre as 20:00 e as 08:00, devido à falta de especialistas para assegurar a escala. 

/ SS