A mulher de 36 anos, estrangeira, que foi detida a semana passada junto à fronteira do Caia, em Elvas, testou positivo para Covid-19 e obrigou 16 militares da GNR a ficarem em quarentena, disse fonte daquela força de segurança.

Ao que a TVI conseguiu apurar junto da Direcção Geral De Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP), a detida foi transportada por volta das 05:00 da manhã, por uma ambulância do INEM, para o Hospital Prisional São João de Deus, em Caxias. 

De acordo com a GNR, esta mulher terá tentado entrar duas vezes em Portugal na posse de 5.080 doses de cocaína.

Numa primeira vez, tentou passar a fronteira de automóvel, no sentido de Badajoz (Espanha) para Elvas, mas foi impedida pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). Regressou a Espanha e posteriormente foi detetada a tentar entrar, a pé, junto à fronteira do Caia, num ponto de passagem não autorizado, tendo sido intercetada e detida.

O Tribunal Judicial de Elvas decretou na sexta-feira a prisão preventiva.

Fonte da GNR disse à agência Lusa que 16 militares do Destacamento Territorial de Elvas da Guarda Nacional Republicana (GNR), que estiveram em contacto com a mulher, estão em quarentena.

De acordo com a fonte da GNR, a mulher "começou na quinta-feira à noite, no posto de Elvas, a sentir dores e a apresentar sintomas de estar infetada pela doença covid-19", tendo afirmado ter estado "em contacto com pessoas supostamente infetadas".

Desde as 23:00 de 16 de março que está vedada a circulação rodoviária nas fronteiras terrestres, com exceção do transporte internacional de mercadorias, do transporte de trabalhadores transfronteiriços e da circulação de veículos de emergência e socorro e de serviço de urgência.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 600 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 28.000.

Depois de surgir na China, em dezembro de 2019, o surto já se espalhou por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 100 mortes, mais 24 do que na véspera (+31,5%), e registaram-se 5.170 casos de infeções confirmadas, mais 902 casos em relação a sexta-feira (+21,1%).

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Cláudia Évora / com Lusa. Atualizada às 16:35