Ana Varges Gomes, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve (CHUA), admite um transtorno na capacidade de resposta se o número de novos casos de covid-19 continuar a subir com a mesma tendência registada nos últimos dias.

Esta perturbação pode vir a ser acentuada pela chegada do período de gozo de férias, a que alguns profissionais de saúde prescindem há mais de um ano.

“Se os casos continuarem a subir, começa a ser preocupante. Porque estamos numa altura diferente, em que os profissionais de saúde têm um período de gozo de férias”, afirma Varges Gomes, numa altura em que foram registados mais 254 casos na região do Algarve nas últimas 24 horas.

A representante do CHUA sublinha que, presentemente, tem-se notado “um aumento na procura das Urgências” e que existe uma dificuldade da linha SNS24 em responder à realidade.

Ainda assim, os número estão longe de ser aqueles sentidos nas vagas anteriores: até hoje, o hospital de Faro tem 28 doentes internados com o novo coronavírus e Portimão tem nove. No total, há dois internados em Cuidados Intensivos.

Com a chegada do verão e a migração de turistas para a zona, Ana Varges Gomes afirma que os recursos não estão dimensionados para as duas milhões de pessoas que, em média, escolhem o Algarve como residência ou destino turístico no verão.

No entanto, o CHUA promete dar resposta. “Não vamos falhar na resposta. Pedimos que a quem se desloque em férias mantenha o cumprimento das normas definidas pela DGS e de forma a prevenir infeções”.

Varges Gomes lança ainda uma mensagem para quem entenda que a covid-19 apenas afeta com gravidade os mais idosos: “Nós temos gente internada desde os 23 até aos 60 anos. Não é uma doença que só atinge os idosos.”