O serviço de urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta, em Almada, vai fechar à noite a partir de segunda-feira, disse esta quinta-feira a ministra da Saúde, que prolongou o horário de duas unidades de saúde para colmatar este encerramento.

“Face às dificuldades para fazer a escala [de profissionais de saúde no Garcia de Orta], esta é a solução que, tecnicamente, foi estudada como a mais adequada e estável”, afirmou Marta Temido.

A ministra falava numa conferência de imprensa, no Ministério da Saúde, em Lisboa.

Na altura, explicou que vai ser alargado o horário das unidades de saúde da Amora, no Seixal, e da Rainha Dona Leonor, em Almada, para dar resposta ao encerramento da urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta, que se concretiza a partir de segunda-feira.

De acordo com a ministra, estas duas unidades de saúde vão passar a funcionar das 08:00 às 00:00, nos dias de semana, e das 10:00 às 22:00, no fim de semana.

Fora das horas de funcionamento destas duas unidades de saúde, os utentes devem utilizar a Linha Saúde 24, através do 808 24 24 24, para que, em caso de situações urgentes, os doentes sejam socorridos pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), que deve assegurar o encaminhamento para outros hospitais.

Por seu turno, as urgências do Garcia de Orta passarão a funcionar todos os dias da semana das 08:00 às 20:00, período em que, segundo a ministra, se verifica 80% da procura.

Com esta medida, as urgências pediátricas no Garcia de Orta passam a funcionar também ao fim de semana.

Desde o dia 18 de outubro que as urgências pediátricas daquele hospital fechavam à sexta-feira à noite e só reabriam na segunda-feira de manhã.

Reconhecendo que “não é uma solução ideal, porque é de contingência”, a governante considerou que a resposta encontrada é a que garante “mais segurança” para os utentes.

“A mais adequada para o propósito de garantir à população uma assistência com regularidade, estável, num período de dificuldade de fixação dos recursos humanos”, ressalvou.

Quando questionada pelos jornalistas sobre a duração deste encerramento, Marta Temido referiu que “tudo depende da capacidade de captar pediatras e conseguir normalizar o serviço”.

A esse respeito, a ministra de saúde disse que o hospital abriu, em 2018, quatro vagas para pediatria e, em 2019, três vagas e que apenas um clínico aceitou trabalhar nesta unidade de saúde.

Marta Temido explicou que, neste momento, trabalham no Hospital Garcia da Orta 29 pediatras, sendo que, destes, 11 fazem parte da unidade de Neonatologia e, desses, apenas quatro fazem urgências pediátricas.

Utentes fazem vigília

A Comissão de Utentes do Seixal vai realizar uma vigília no Hospital Garcia de Orta, no distrito de Setúbal, na próxima segunda-feira, por estar confirmado que a urgência pediátrica vai encerrar todas as noites.

Os utentes reuniram-se com a ministra da Saúde, Marta Temido, em Lisboa, e afirmam que “não há uma evolução” em relação à falta de pediatras no hospital de Almada.

“O que falámos de que a urgência iria fechar a partir do dia 18, todos os dias da semana, a partir das 21:00 e até às 08:30 do dia seguinte, isso mantém-se”, adiantou à Lusa José Lourenço, da Comissão de Utentes da Saúde do Concelho do Seixal.

O responsável saudou a “reunião alargada”, onde também estiveram presentes membros do conselho de administração do Garcia de Orta e da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), mas frisou não ter saído “satisfeito” com as soluções apresentadas.

Para José Lourenço, “continua a não haver uma alternativa na Margem Sul para as urgências noturnas” e defendeu que o alargamento deveria ser por “24 horas”.

Por este motivo, os utentes decidiram fazer uma vigília à porta do Hospital Garcia de Orta, a partir das 20:00 de segunda-feira, dia em que entra em vigor a nova medida.

Foi esta comissão que, na semana passada, após uma reunião com a administração do hospital, adiantou à Lusa que a urgência pediátrica iria passar a encerrar todas as noites, a partir de segunda-feira, “pelo menos, durante o prazo de seis meses”.

A urgência pediátrica já tinha fechado por diversas vezes em outubro devido à falta de especialistas, levando o hospital a implementar um modelo de encerramento no período noturno aos fins de semana até segunda-feira.

A falta de pediatras no Garcia de Orta afeta o hospital há mais de um ano, quando saíram 13 profissionais e, segundo o Sindicato dos Médicos da Zona Sul, nem o lançamento de concursos foi suficiente para colmatar a carência porque "ninguém concorreu".

Atualmente, trabalham 28 médicos no serviço de pediatria, dos quais só sete fazem urgência e apenas quatro podem fazer noites porque têm menos do que 55 anos.

/ AM