Seis utentes do Lar de São José, em Ílhavo, morreram, desde a semana passada, na sequência da infeção por Covid-19. Outros 33 utentes estão infetados e isolados dentro das instalações do lar, juntamente com alguns funcionários. A informação foi confirmada à TVI pelo diretor técnico da instituição, Luís Oliveira. 

Os testes realizados revelaram números arrasadores: dos 53 utentes do lar de São José, em ílhavo, 39 estavam infetados com Covid-19.

Duas pessoas foram hospitalizadas e acabaram por morrer no hospital. As restantes ficaram isoladas no lar. E também ali já se registaram mais mortes. Quatro. Todos na sequência da infeção pelo novo coronavírus. 

Quando se soube da infeção, o diretor técnico decidiu não abandonar o barco e continuar no edifício. O mesmo fizeram outras funcionárias da instituição.

O cansaço começa agora a ser uma constante. E é agudizado pelo crescente aumento do número de mortos.

Há uma exaustão pelos falecidos”, contou à TVI Luís Oliveira, há dias isolado dentro das instalações da instituição, junto aos utentes infetados. 

Aos 43 anos e saudável, tem tido apenas dores de garganta. Diz aguardar o resultado do teste para saber se está infetado.

A conversa com a TVI foi breve. Luís Oliveira mostrava-se preocupado em ir telefonar aos familiares dos utentes.

A falta de funcionários tem sido outro dos problemas e outro dos motivos a contribuir para a exaustão dos que ali permanecem. “Esta quarta-feira houve um reforço. Duas enfermeiras e duas ajudantes. Há agora um total de nove pessoas a trabalhar”, diz o diretor técnico do lar, que espera conseguir que cheguem mais pessoas. 

Todos os utentes que deram negativo nos testes realizados foram retirados do lar e alojados numa antiga residencial desocupada, no centro de Ílhavo.

Patrícia Batista