Os profissionais de educação física congratularam-se com "a resposta rápida" do Ministério da Educação em relação ao caso das classificações na disciplina alegadamente inflacionadas num colégio do Porto.

Fonte do ministério disse na sexta-feira à Lusa que a Inspeção-Geral da Educação e Ciência (IGEC) vai abrir um inquérito para apurar eventuais atos ilícitos na atribuição das notas da disciplina de Educação Física no Externato Ribadouro, no Porto.

No sábado, em comunicado, o Conselho Nacional de Associações de Profissionais de Educação Física e Desporto (CNAPEF) congratulou-se com "a resposta rápida do Ministério da Educação a esta situação", aguardando "ações que reforcem a salvaguarda dos direitos e interesses legítimos de todos quantos frequentam as escolas".

O CNAPEF espera que a questão da "inflação ilegal de classificações internas (...), com todas as disciplinas do currículo nacional", e não apenas com a de Educação Física, "possa também servir para lançar uma verdadeira reflexão sobre a validade e as consequências do processo de acesso ao ensino superior".

A mesma fonte do Ministério da Educação revelou na sexta-feira à Lusa que, além da abertura de um inquérito, a IGEC irá ainda "identificar os responsáveis por eventuais ilícitos praticados".

Caso se venha a verificar a prática de atos ilícitos desta gravidade, afirma a tutela, "o Ministério da Educação agirá intransigentemente".

O jornal Expresso noticiou na sexta-feira a existência de uma invulgar concentração de classificações de 19 e 20 valores no final do segundo período na disciplina de Educação Física, situação que se repete em nove turmas do 10.º ano do Externato Ribadouro.

A classificação nesta disciplina voltou a contar para a média final do curso e para o acesso ao ensino superior.

De acordo com o Expresso, o Ministério da Educação tem vindo a analisar a tendência de inflação de notas pelas escolas, utilizando para o efeito um indicador designado por "alinhamento", que mede a diferença entre as notas internas, atribuídas pela escola, e as médias nos exames nacionais.

No entanto, no caso da disciplina de Educação Física não existem provas nacionais que permitam fazer este controlo.