“Penso que as principais causas estão no facto de não termos infraestruturas suficientes, capazes e a preços acessíveis para que [as mulheres] possam continuar a exercer a sua atividade profissional e as crianças poderem ser bem tratadas”, sustentou.