O Ministério da Administração Interna ordenou a abertura de um inquérito disciplinar para investigar as ameaças por parte de um inspetor do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) a uma imigrante brasileira, que é testemunha no caso da morte do cidadão ucraniano Ihor Homeniuk.

Esta denúncia surgiu depois de uma entrevista em exclusivo à TVI, onde a mulher em causa descreveu violentas agressões de inspetores do SEF a dois cidadãos cabo-verdianos.

Em resposta dada à TVI, o ministério de Eduardo Cabrita informou da abertura do inquérito disciplinar.

Ao que a TVI apurou, esta cidadã terá posteriormente sido ameaçada por um inspetor do SEF na sua própria casa, em Leiria. O objetivo do agente seria remeter a testemunha ao silêncio no processo de Ihor Homeniuk, morto em março de 2020, e pelo qual estão acusados de homicídio três inspetores do SEF.

Esta mulher passou dois meses retida no centro de instalação temporária do Aeroporto de Lisboa, onde conviveu com o cidadão ucraniano. Em conversa com a TVI, contou ter presenciado várias situações de maus-tratos a imigrantes, entre os quais Ihor Homeniuk.

Redação