Bruno Pidá teve os primeiros momentos junto da família desde que foi preso por homicídio e vários crimes violentos no processo noite branca.

O arguido é considerado extremamente perigoso foi condenado em janeiro de 2010, em cumulo jurídico, a 23 anos de prisão.

Bruno pinto "pidá" é apontado como o alegado líder do chamado gangue da ribeira e alegado homicida do segurança Ilídio Correia em 2007. No entanto, a condenação abrange também vários homicídios na forma tentada, entre outros crimes, detenção ilegal de arma.