Uma empresa está a alugar contentores como apartamentos por 600 euros em Lisboa. Os anúncios estão disponíveis em portais como o OLX e o Imovirtual. A Câmara Municipal de Lisboa já disse à TVI que "o terreno é privado e as estruturas são ilegais" e, por isso, "foi já determinada a intimação à remoção imediata dos contentores, demolição da rede de infraestruturas e  a imediata cessação de utilização"

Contactado pela TVI, o representante da empresa, João Mendonça, afirma que esta "é uma opção ecológica baseada numa filosofia da Europa do Norte", acrescentando que os seus clientes vêm precisamente de países dessa zona.

Ao todo, a empresa tem seis contentores para alugar, e todos eles se encontram ocupados. João Mendonça explica que esta é uma alternativa prática: "O negócio fica feito na hora".

Existe o caso de um cliente nosso que mora em Évora mas que agora precisa de trabalhar em Lisboa. O contentor é preferível a uma casa porque é mais rápido e a deslocação Évora-Lisboa tem uma grande pegada ecológica. Se ele alugar um hotel vai pagar 200 euros por noite, aqui paga 20", explicou João Mendonça.

Os espaços têm 12 metros quadrados e dispõem de saneamento básico, além de um beliche com duas camas. Localizados num terreno partilhado com um prédio, em Marvila, os seis contentores têm uma área de cozinha comum de 400 metros.

A ideia passa por fazer crescer o negócio e a empresa já procura mais terrenos na capital para colocar mais contentores.

A empresa mãe já tem o negócio bem enraízado no Reino Unido, onde já existem 50 mil casas deste género.

João Mendonça afirma que o modelo de negócio assenta no aluguer de um mês inteiro. Todos os clientes atuais são estrangeiros que residem em Portugal e vêm do norte da Europa.

Os contentores alugados não precisam de legalizações, de acordo com o responsável, e funcionam com a mesma tipologia das caravanas, o que confirma a prática referida por João Mendonça.

Os 600 euros dão direito à casa e incluem as despesas, da casa, Internet, limpezas e um espaço comum onde se encontra a sala e a cozinha.

Sabe a TVI que os serviços de fiscalização da Câmara Municipal de Lisboa, assim que tomaram conhecimento da situação, "deslocaram-se ao logradouro do prédio sito no Vale Formoso de Cima e verificaram que estão instalados contentores com rede de saneamento, água e electricidade".

O terreno é privado e as estruturas são ilegais por não terem sido precedidas do respetivo licenciamento nos serviços de urbanismo da CML, estando em causa condições de habitabilidade e de segurança/acesso ao local", esclarece uma nota da autarquia enviada à TVI.

De acordo com o mesmo documento, "foi já determinada a intimação à remoção imediata dos contentores, demolição da rede de infraestruturas e  a imediata cessação de utilização com abertura de processo de contraordenação".