A Unidade de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária, na operação de desmantelamento da associação criminosa que se dedicava a obter, de forma fraudulenta, certificações para motoristas de veículos de plataformas digitais, apreendeu na posse de alguns destes últimos várias armas de fogo ilegais – como caçadeiras, pistolas de calibre 6,35 mm, revólveres e munições, sabe a TVI.

Em causa, motoristas de plataformas como a Uber, Cabify e Kapten, alvos de buscas em bairros problemáticos onde vivem, por exemplo na zona das Olaias, em Lisboa. A par das buscas domiciliárias, a operação incidiu em oito escolas de condução, três centros de formação e nas direções regionais de Lisboa e Santarém do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT).

Foram detidas oito pessoas, entre as quais um coordenador do IMT, dois médicos e um advogado, além de angariadores do esquema de corrupção que visava subverter as regras de licenciamento – nomeadamente quanto às 50 horas de formação obrigatória para os motoristas, que não eram ministradas. Respondem por associação criminosa, corrupção ativa e passiva para ato ilícito, falsidade informática e violação de segredo de funcionário. De forma fraudulenta, os motoristas obtiveram licenças também para o transporte coletivo de crianças.