Um empregado fabril de 53 anos foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeita de ter ateado um incêndio florestal em maio no concelho de Cantanhede, distrito de Coimbra, foi anunciado esta quinta-feira.

A diretoria de Coimbra, em comunicado enviado à agência Lusa, refere que o detido é suspeito da prática do crime de incêndio florestal, ocorrido no dia 25 de maio, cerca das 18:00, numa freguesia daquele concelho.

O suspeito, com uso de chama direta, ateou um incêndio na floresta, numa zona povoada com mato, carvalho, pinheiro e eucalipto, com continuidade vertical e horizontal, confinante com área agrícola, a menos de um quilómetro da zona urbana, com várias aldeias em redor", explica a PJ.

Segundo o comunicado, o fogo consumiu apenas cerca de 150 metros quadrados, mas poderia ter consequências mais gravosas "caso não tivesse havido uma rápida intervenção dos bombeiros e de um meio aéreo".

A atuação do suspeito colocou em perigo a integridade física e a vida de pessoas, habitações e a grande mancha florestal", salienta a nota.

A sua detenção pela Diretoria de Coimbra da PJ foi efetuada com a colaboração do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR de Cantanhede e do Grupo de Trabalho para a Redução das Ignições em Espaço Rural do Centro.

O detido vai ser presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação das respetivas medidas de coação.

/ Publicado por MM