A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem, de 40 anos, "fortemente indiciado" pela prática de dois crimes de incêndio florestal em Marco de Canaveses.

Segundo comunicado da PJ, os incêndios ocorreram "nos últimos dias" na localidade de Paredes de Viadores e a detenção do suspeito ocorreu "fora de flagrante delito".

A detenção contou com a colaboração dos militares do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS) da GNR e do posto territorial de Marco de Canaveses.

"O fogo terá sido provocado com recurso a isqueiro, com intencionalidade de queimar mato e provocar incêndio florestal, em locais escondidos, para a propagação se desenvolver de forma oculta", explica-se no comunicado.

Ainda segundo a PJ, "o suspeito terá ateado as ignições, aparentemente sob o efeito do álcool, abandonando o local de imediato, colocando assim em perigo as habitações existentes nas imediações".

Os incêndios afetaram cerca 5,5 hectares, "só não assumindo outras proporções devida à pronta e eficiente intervenção dos bombeiros".

O detido vai ser presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.