A Polícia Judiciária (PJ) deteve uma mulher suspeita de, na quarta-feira, ter provocado uma explosão seguida de incêndio num apartamento em Portimão, alegadamente por ter lhe sido dada ordem de despejo pelo proprietário, anunciou esta quinta-feira a PJ.

Em comunicado, a PJ adiantou que a inquilina "regou com gasolina" as divisões do apartamento, causando uma explosão seguida de incêndio, o que levou a que uma vizinha idosa, residente no andar de baixo, tivesse que ser assistida por inalação de fumos.

Fonte policial disse à Lusa que a detida, de 38 anos, abandonou a habitação logo após ter provocado o incêndio, crime que terá sido motivado por uma ação de despejo de que está a ser alvo por parte do proprietário.

Além de provocar ferimentos ligeiros numa idosa, a explosão fez também projetar os vidros da janela do apartamento sobre uma viatura que se encontrava na rua.

A mulher vai agora ser presente às autoridades judiciárias competentes, para aplicação de eventuais medidas de coação.

Na detenção, estiveram envolvidos o Departamento de Investigação Criminal de Portimão da PJ e a PSP local.

O incêndio, que mobilizou 46 operacionais, apoiados por 20 viaturas, destruiu a habitação.