Mais de 170 bombeiros estão a combater dois incêndios no concelho de Loulé, um dos quais surgiu de um reativamento do fogo que quarta-feira atingiu a zona de Carvalhal e Amendoeira e outro em Besteiros, indicou a Proteção Civil.

Um deles é um reacendimento do incêndio de há dois dias atrás esteve ativo na zona, teve uma reativação bastante forte e a dificuldade de acessos não facilita a tarefa de dominar o fogo”, afirmou a fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro à agência Lusa.

O terreno acidentado e falta de acessos não permite aos bombeiros uma aproximação à frente de fogo e isso torna o combate mais complicado, acrescentou a mesma fonte, indicando que, cerca das 17:30, estavam no local 74 operacionais, com 18 veículos e três meios aéreos.

A zona onde este fogo lavra “é a mesma do incêndio de há dois dias, em Carvalhal e Amendoeira”, precisou.

O segundo incêndio está ativo junto à “localidade de Besteiros, também no concelho de Loulé, mas nada tem a ver com o primeiro”, frisou a mesma fonte, quantificando o dispositivo de combate em 104 operacionais, com 30 veículos e três meios aéreos.

Este incêndio decorre em zona de residências, mas as equipas estão posicionadas e não há indicação de habitações em perigo”, respondeu a mesma fonte, ao ser questionada sobre a existência de casas em risco.

As equipas de combate estão a deparar-se com algum vento, que também “não facilita o trabalho”, referiu.

Na noite de quarta-feira, os bombeiros de Loulé, no distrito de Faro, previram “uma noite muito longa” de trabalhos de rescaldo, depois de dominado um incêndio numa zona de difícil acesso.

O fogo começou cerca das 13:30 e chegou a levar 53 pessoas a sair de casa por precaução, que puderam depois regressar cerca das 22:30.

Durante o dia e noite de quarta-feira, chegaram a estar empenhados no combate ao fogo 232 operacionais, apoiados por 84 veículos, quatro máquinas de rasto e oito meios aéreos.

Agência Lusa / JGR