A Polícia Judiciária garantiu, esta quinta-feira, que a causa do incêndio de Monchique, em 2018, “foi determinada, estando esclarecida, quer pelas diligências investigatórias desenvolvidas, quer pelas conclusões do Laboratório de Polícia Científica”, refutando um relatório do Observatório Técnico Independente.

O relatório divulgado pelo Observatório Técnico Independente (OTI), esta quinta-feira, criado pelo parlamento para acompanhar os incêndios florestais, aponta como possível causa do fogo de Monchique, o maior de 2018, uma linha elétrica e lamenta que, passados nove meses, a causa esteja "ainda a ser investigada e apontada como desconhecida".

Em comunicado posterior, a PJ, responsável por investigar as causas dos incêndios, veio desmentir esta afirmação, garantindo que a causa “foi determinada, estando esclarecida”.

Assim sendo, é possível concluir pela não existência de ação humana dolosa, na origem do incêndio”, adianta a PJ no comunicado, acrescentando que “as investigações prosseguem, no âmbito de processo em curso, tutelado pelo Ministério Público competente, estimando-se que a sua conclusão possa ocorrer a breve prazo”.

O incêndio de Monchique esteve ativo entre 3 e 10 de agosto de 2018 em Monchique e consumiu mais de 27 mil hectares.