As chamas aproximaram-se durante a tarde de várias aldeias da Serra da Gralheira, em S. Pedro do Sul, mas os bombeiros conseguiram proteger pessoas e bens, disse o adjunto de operações distrital, Vasco Santos.

«Temos estado a colocar meios de maneira a salvaguardar pessoas e bens e é isso que iremos continuar a fazer», explicou à agência Lusa, em declarações prestadas cerca das 19:00.

O incêndio deflagrou cerca das 11:00 em S. Cristóvão de Lafões , S. Pedro do Sul, e está com quatro frente activas. «Temos a arder algum mato, eucalipto, num local de difícil acesso», referiu Vasco Santos, escusando-se a fazer previsões sobre quando é que o incêndio deverá ficar controlado.

«Não faço previsões porque o terreno é bastante íngreme. A orografia não ajuda nada e os caminhos não existem. Estamos a combater devagarinho e o incêndio vai ter de ceder», acrescentou.

No local encontram-se 100 bombeiros, 28 viaturas, três meios aéreos e cinco elementos do Grupo de Análise e Uso de Fogo.

Durante a tarde, às 16:14, deflagrou um outro incêndio no concelho de S. Pedro do Sul, em Santa Cruz da Trapa. Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro disse à Lusa que o fogo «tem três frentes activas na serra», não havendo povoações próximas. No local estão 17 bombeiros e cinco viaturas.

31 fogos permaneciam activos às 19:00

Iam combater um incêndio e ficaram feridos num acidente

Fogo lavra no Parque Natural do Alvão

Fogo perto de casas gerou o pânico em Matosinhos

Maia: incêndio em fábrica de tintas faz cinco feridos

Fogo em Carrazeda de Ansiães lavra há 48 horas
Redação / MM