Sete distritos de Portugal continental, assim como o arquipélago da Madeira, estão hoje sob aviso amarelo devido ao tempo quente, informa hoje o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Os distritos de Beja, Évora, Portalegre, Castelo Branco, Guarda, Bragança e Vila Real vão estar sob aviso amarelo até às 18:00 devido à persistência de valores elevados das temperaturas máximas.

O IPMA colocou também o arquipélago da Madeira sob aviso amarelo até às 21:00 de hoje devido ao tempo quente.

O aviso amarelo, o terceiro de uma escala de quatro, revela situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Mais de 60 concelhos de 11 distritos em risco máximo

Mais de 60 concelhos dos distritos de Bragança, Guarda, Coimbra, Castelo Branco, Portalegre, Faro, Beja, Santarém, Leiria, Viseu e Vila Real apresentam hoje risco máximo de incêndio, também segundo o IPMA.

Bragança, Faro e Guarda são os distritos mais problemáticos, pois têm praticamente todo o território em risco máximo de incêndio.

O resto do país está com risco muito elevado ou elevado de incêndio, excetuando-se alguns concelhos situados maioritariamente na região do litoral norte, em particular nos distritos de Viana do Castelo, Porto, Aveiro e Coimbra, onde o risco se apresenta moderado ou reduzido.

O risco de incêndio vai continuar máximo, muito elevado e elevado pelo menos até domingo em vários distritos de Portugal continental, segundo o IPMA, que prevê uma redução significativa deste risco a partir de segunda-feira.

No início da semana, a Proteção Civil já tinha emitido um “aviso à população”, no qual alertava para um agravamento das condições meteorológicas com aumento do risco de incêndio até domingo.

O comunicado da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) indicava que a temperatura iria subir, variando entre os 30 e os 35 graus, podendo atingir valores superiores no interior, a humidade relativa do ar iria diminuir para entre 20% e 30% e o vento iria ser fraco a moderado, mas temporariamente com rajadas fortes, até 40 quilómetros por hora (km/h).

O risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo, sendo o elevado o terceiro nível mais grave.

Os cálculos para este risco são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

/ ALM com Lusa