Houve falhas e descuidos graves na atuação dos bombeiros durante o combate aos seis grandes incêndios florestais de 2013, que causaram a morte a nove operacionais.

É a conclusão de um relatório encomendado a especialistas da Universidade de Coimbra (UC) e classificado como secreto tanto pelo anterior como pelo atual Governo.

No documento são apontadas lacunas na formação, desobediências não toleráveis no teatro de operações, falta de coesão e comunicação nas equipas e a falta de uso de equipamento de proteção no combate ao fogo, escreve o Jornal de Notícias, nesta quarta-feira.

Os especialistas da UC passaram a pente fino os acontecimentos de cada um dos fogos com vítimas mortais, dois deles na serra do Caramulo, onde morreram quatro bombeiros.

Os investigadores falam em equipamentos de fraca qualidade, de excesso de confiança por parte de alguns bombeiros e de desconhecimento sobre o uso do fogo.

A falta de articulação entre os vários agentes do sistema de defesa da floresta contra incêndios é outra das falhas apontadas.

Redação / CM