Quase 500 bombeiros apoiados por 154 viaturas combatem um incêndio em Oleiros, distrito de Castelo Branco, que já ameaçou habitações e obrigou mesmo à evacuação de uma localidade. As chamas, que começaram na localidade de Sardeiras de Baixo, andaram muito perto da localidade da Moutinhosa. Em Funcho da Serra, os dois únicos habitantes da localidade ficaram cercados pelas chamas. 

Fonte oficial adiantou à TVI que o fogo já fez dois feridos, um civil e um bombeiro, que tiveram de receber assistência do INEM.

Além destes dois feridos, há ainda a registar um capotamento de um carro de combate às chamas, em Perna do Galego, já no concelho da Sertã, em que seguiam cinco bombeiros. Quatro ficaram feridos e um acabou por ser encontrado morto. Trata-se de um jovem de 22 anos, da corporação de Proença-a-Nova.  

Foi mobilizado um helicóptero do INEM para prestar assistência a estes bombeiros que sofreram o acidente. 

As imagens captadas pelos repórteres da TVI mostram o trabalho difícil do combate às chamas, nomeadamente dos meios aéreos e ajudam a perceber a dimensão das chamas. 

O fogo está a avançar encosta acima, a grande velocidade e lavra muito perto do parque eólico. O repórter da TVI descreve o vento que se faz sentir com a imagem da velocidade da rotação das torres eólicas. 

Autarca prevê "noite terrível"

O presidente da Câmara Municipal de Oleiros, Fernando Jorge, perspetiva "uma noite terrível" adianta estar tudo preparado para evacuar duas povoações que estão em risco.

Depois de Fojo, no concelho de Proença-a-Nova, distrito de Castelo Branco, ter sido evacuado, segundo Fernando Jorge, o autarca sublinha que as povoações de Moutinhosa e Roda "estão em risco".

Está muito problemático. O incêndio está com várias frentes, o terreno é muito acidentado, faz muito vento e agora, com a saída dos meios aéreos, fica ainda mais complicado. Vai ser uma noite terrível", antevê o autarca de Oleiros, em declarações à agência Lusa.

Depois de os sete meios aéreos se terem retirado, com o anoitecer, permanecem no combate às chamas 331 operacionais de corporações de vários distritos, apoiados por 109 viaturas.

Segundo Fernando Jorge, o incêndio "está com uma frente muito grande" e encontra-se a arder uma área que foi atingida pelo fogo de 2003, que entretanto "cresceu desordenadamente e estava já um pinhal denso e forte".

O presidente da Câmara Municipal de Oleiros mostra-se preocupado com os "prejuízos muito grandes" numa mancha de pinheiro bravo, mas sobretudo com a população e as habitações.

João Bizarro Manuela Micael / Atualizada às 23:36