Um incêndio que deflagrou este domingo de madrugada no Parque Natural de Serras de Aire e Candeeiros, em Porto de Mós, está a mobilizar seis meios aéreos, informou fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria.

Segundo a mesma fonte, estão vários meios terrestres e meios aéreos a combater o fogo no local.

Em declarações à TVI, fonte da Proteção Civil confirmou que existem suspeitas de mão criminosa, até porque o fogo teve quatro focos diferentes, o que está a dificultar o combate por parte dos bombeiros. A mesma fonte informou ainda que já foram identificados dois suspeitos.

O fogo, para o qual foi dado o alerta às 01:49, em Serro Ventoso, no concelho de Porto de Mós, distrito de Leiria, tem uma frente ativa, referiu ainda a fonte do CDOS.

Às 13:00, a página da Autoridade Nacional de Proteção Civil informava que estavam no local 146 elementos, 38 veículos e seis meios aéreos.

Catorze distritos a norte do Tejo, incluindo Portalegre, entraram este domingo em estado de alerta, até às 23:59 de terça-feira, devido às previsões meteorológicas de "significativo agravamento" do risco de incêndio.

Além de Portalegre, a medida abrange os distritos de Aveiro, Braga, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria, Lisboa, Porto, Santarém, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.

A declaração da situação de alerta foi anunciada na sexta-feira pela secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, numa conferência de imprensa na sede da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em Lisboa.

Na altura, Patrícia Gaspar disse que "é expectável que o risco de incêndio vá aumentar”, considerando as previsões meteorológicas de “aumento da temperatura, redução dos níveis de humidade relativa e aumento do vento”.

/ SS-Atualizada às 20:25