O incêndio que deflagrou esta tarde na freguesia de Cabril, concelho de Montalegre, foi dado como “dominado”, permanecendo no local cerca de 60 operacionais e três meios aéreos, disse fonte dos bombeiros.

O comandante dos bombeiros de Salto, Hernâni Carvalho, disse à Lusa que o incêndio deflagrou pelas 14:48 na área da aldeia de Lapela, numa zona do Parque Nacional da Peneda Gerês (PNPG) com acessos “muito difíceis e de declives muito acentuados".

O responsável referiu que o terreno apresenta dificuldades de progressão para as equipas terrestres, as quais contaram com o apoio importante dos meios aéreos.

Pelas 17:30, o fogo, segundo Hernâni Carvalho, já tinha sido dado como “dominado”, permanecendo no local três meios aéreos e perto de 60 operacionais.

O responsável referiu que esta é a freguesia do distrito de Vila Real com o maior número de ocorrências e que, entre 15 de maio e hoje, foram registadas 34 ignições em Cabril.

Trata-se de uma freguesia prioritária, com povoamento florestal e que está inserida no PNPG. As 15 aldeias desta freguesia ficam também distantes do quartel dos bombeiros, sendo que Lapela dista quase 30 quilómetros de Salto.

O comandante afirmou que “grande parte das ignições ocorre entre as 19:00 e as 00:00”, uma hora que considera “estranha” e em os meios aéreos ou já não podem atuar ou possuem um curto espaço de tempo para atuar.

Hernâni Carvalho disse ainda não ter dúvidas de que "há uma intenção clara de queimar e de destruir”.

A atenção das autoridades está centrada nesta freguesia e, segundo Hernâni Carvalho, a Polícia Judiciária (PJ) tem efetuado diligências neste território e a GNR tem reforçado o patrulhamento.

Também por estes dias, militares do Exército Português efetuam patrulhamento 24 horas por dia em Cabril.

O objetivo é, segundo o comandante, “reforçar a vigilância, detetar comportamentos de risco nas florestas e lançar o alerta de fogo o mais rapidamente possível para tempo de resposta ser o mais curto possível”.

Em períodos de alerta amarelo ou superior, é preposicionada uma equipa de combate em Cabril para “encurtar os tempos de resposta”.

“Além disso, quando há disponibilidade e felizmente tem havido, como a freguesia é prioritária, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC)tem mobilizado dois helicópteros de ataque inicial para que as ocorrências sejam controladas e debeladas em menos tempo”, frisou.

Nestes períodos mais críticos, também o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) coloca equipas de sapadores florestais em permanência em Cabril.

A ANPC colocou hoje 13 distritos em alerta vermelho, o mais grave de quatro níveis, devido ao aumento do risco de incêndio rural provocado pelo calor esperado para os próximos dias.

Os distritos que estão agora no nível máximo de alerta são Aveiro, Braga, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria, Porto, Portalegre, Santarém, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.