A covid-19 continua a matar a nível nacional de forma heterogénea e os Protugal parece estar a ser atingido por uma segunda vaga. A 20 de setembro, por cada 10 mil habitantes, registaram-se 4,5 novos casos de infeção, de acordo com dados revelados esta sexta-feira revelados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). 

Em 55 municípios, este rácio foi superior à média, com particular incidência naqueles que pertencem à Área Metropolitana de Lisboa (AML): Amadora (9,4), Sintra (9,0), Lisboa (8,8), Odivelas (8,1), Cascais (7,3), Loures (7,2) e Oeiras (6,9).

Nesses sete dias, terminados a 20 de setembro, a AML representava 43% dos novos casos registados no país, ou seja, 28% da população. O ritmo de novas infeções de covid-19 nesta região chegou mesmo a ser superior ao do país. 

A análise centrada nas últimas semanas sugere um aumento do número de novos casos na AML com ritmo superior ao do país: na semana terminada a 6 de setembro a taxa de crescimento foi de +21,3% (+8,9% no país) e na semana terminada a 20 de setembro esta taxa foi +31,7% (+12,6% no país).", lê-se no documento intitulado de "COVID-19: uma leitura do contexto demográfico e da expressão territorial da pandemia - Dados até 23 de setembro". 

Desde o início de março que o número preliminar de mortos para o total do país, aferidos às últimas quatro semanas, se mantém superior ao registado no período homólogo de referência.

Mais de metade dos municípios registou mais mortes no último mês

Mais de metade dos 308 municípios portugueses registaram nas últimas quatro semanas um número de óbitos superior ao verificado no mesmo período em 2018 e 2019.

Os dados do INE precisam que, em 179 dos 308 municípios, que concentram 68% da população, o número de mortes entre 17 de agosto e 13 de setembro de 2020 foi superior ao valor homólogo de referência (média para o mesmo período em 2018 e 2019).

Deste conjunto, destacaram-se 44 municípios que registaram um número de óbitos 1,5 vezes superior ao registado no período de referência.

Para os restantes 129 municípios o número de óbitos nas últimas quatro semanas foi igual ou inferior ao observado no período de referência.

De acordo com o INE, “a expressão da pandemia continua a ser caracterizada por uma elevada heterogeneidade territorial”.

Desde o início de março que o número preliminar de óbitos em 2020 para o total do país, aferidos às últimas quatro semanas, se mantém superior ao registado no período homólogo de referência”, referem.

Os dados relativos aos óbitos são preliminares e correspondem a todas as causas de morte, com base nos assentos de óbito, e os dados sobre a covid-19 têm por base o relatório diário da DGS.

Portugal contabiliza pelo menos 1.931 mortos associados à covid-19 em 71.156 casos confirmados de infeção, segundo os últimos dados da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Cláudia Évora / com Lusa - Notícia atualizada às 13:24