O primeiro-ministro, António Costa, manifestou hoje pesar pela morte de quatro pessoas na sequência da queda de um helicóptero do INEM no regresso de uma missão de transporte de doentes.

Quero naturalmente apresentar às famílias e amigos as mais sentidas condolências e dirigir uma palavra de solidariedade para todos aqueles que trabalham no Instituto Nacional de Emergência Médica e que prestam um serviço inestimável aos portugueses”, afirmou à Lusa em Abu Dabi, numa escala antes de partir para uma visita a uma força nacional destacada.

O primeiro-ministro disse que no momento próprio serão apuradas “as causas deste acidente”, frisando que “neste momento” é prematuro falar sobre as razões.

António Costa acrescentou que o secretário de Estado da Proteção Civil e a secretária de Estado da Saúde “têm estado no local a acompanhar as operações de busca do helicóptero e de resgate das vítimas” e que “a ministra da Saúde está a chegar ao local”.

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) confirmou, ao início da madrugada, a ocorrência de “quatro vítimas mortais” na sequência da queda do helicóptero de emergência médica, em Valongo, sem adiantar causas do acidente.

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) informa que foi localizado, cerca das 01:30, o helicóptero de emergência médica que se encontrava desaparecido. A aeronave em questão foi localizada na Serra de Pias, concelho de Valongo, havendo a lamentar a ocorrência de quatro vítimas mortais”, refere o instituto, num comunicado divulgado pouco depois das 02:00.

A bordo da aeronave seguiam dois pilotos e uma equipa médica, composta por médico e enfermeira.