A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) lançou uma campanha sobre os procedimentos habituais nos Censos e com conselhos para alertar e prevenir eventuais práticas criminosas que podem acontecer durante este período.

Para tornar o processo mais seguro, a APAV emitiu uma série de recomendações, aconselhando a confirmar a identificação do/a recenseador/a e estar atento a mails ou mensagens eletrónicas (SMS) que possam ter natureza fraudulenta.

Estas recomendações visam alertar a população para situações de burla que podem surgir através do pedido de dados bancários e/ou cobrança de quantias monetárias associadas à participação nos Censos”, afirma a APAV.

Os Recenseamentos da População e da Habitação – Censos - servem para obter informação estatística atualizada sobre toda a população residente, as famílias e o parque habitacional e a APAV pretende com esta campanha tornar o processo mais seguro.

Sobre as diversas fases do processo dos Censos, a APAV lembra que entre 05 e 18 de abril foram deixadas nas caixas de correio cartas com códigos e palavras-passe únicos, que a 19 teve início a fase de respostas pela internet (até dia 03 de maio) e que a partir de 31 de maio decorrerá o contacto presencial dos recenseadores apenas nos alojamentos que não tenham respondido.

Cada recenseador/a terá um cartão de identificação com o nome e fotografia, o logótipo do INE e a referência ao Censos 2021”, informa a APAV nos cartazes elaborados para a campanha, acrescentando que esta identificação poderá ser confirmada na junta de freguesia, PSP, GNR ou na linha de apoio 210 542 021.

Alerta ainda que a resposta aos Censos é gratuita, não havendo lugar a qualquer pagamento, pede para as pessoas não abrirem 'links' de emails ou SMS sobre os recenseamentos e que não forneçam qualquer informação sobre os seus dados bancários.

Em caso de dúvidas, a campanha da APAV aconselha a consulta do endereço eletrónico censos2021.ine.pt, da linha de apoio 201 542 021, da junta de freguesia ou da PSP ou GNR.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), nas últimas duas semanas, os recenseadores entregaram cerca de 4,5 milhões de cartas com códigos para responder ao inquérito em https://censos2021.ine.pt, cobrindo mais de seis milhões de alojamentos, 1,6 milhões dos quais não são residências habituais.

Até às 11:00 de segunda-feira, mais de 90 mil inquéritos tinham sido entregues.

. / LF