Portugal regista esta segunda-feira mais cinco mortes e 313 casos de covid-19, segundo os últimos dados da Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim, estão agora internadas 290 pessoas, mais 21 do que no domingo, das quais 59 em unidades de cuidados intensivos, mais sete nas últimas 24 horas.

Os cinco óbitos de pessoas com mais de 80 anos foram registados nas regiões de Lisboa (2), Centro (1), Algarve (1) e Região Autónoma dos Açores (1).

Desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram em Portugal 18.138 pessoas e foram registados 1.085.451 casos de infeção.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se entre os idosos com mais de 80 anos (11.834), seguidos da faixa etária entre os 70 e os 79 anos (3.884).

Do total de vítimas mortais registadas até à data, em Portugal 9.513 eram homens e 8.625 mulheres.

Os dados divulgados pela DGS mostram também que estão ativos mais 32 casos, para um total de 31.336, e que 284 pessoas foram dadas como recuperadas da covid-19 nas últimas 24 horas, o que aumenta o total nacional para 1.035.977 recuperados.

Nas últimas 24 horas, o número de contactos em vigilância pelas autoridades de saúde subiu (mais 321), situando-se nos 21.124.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 582.668 mulheres e 502.036 homens, de acordo com os dados da DGS, segundo os quais há 747 casos de sexo desconhecido, que se encontram sob investigação, uma vez que esta informação não é fornecida de forma automática.

Entre as novas infeções destaca-se a faixa etária dos 40 aos 99 (mais 51), seguida dos 20 aos 29 anos (mais 45), dos 30 aos 39 anos (mais 40), dos 50 aos 59 anos (mais 40), dos 0 aos 9 anos (mais 38), dos 60 aos 69 anos (mais 27), dos mais de 80 anos (mais 27), dos 10 aos 19 (mais 24) e dos 70 aos 79 anos (mais 21).

A região de Lisboa e Vale do Tejo e a região Norte concentram cerca de 66,4% das infeções assinaladas nas últimas 24 horas.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificadas 118 novas infeções, contabilizando-se até agora nesta área geográfica 419.192 casos e 7.718 mortos.

A região Norte registou 90 novas infeções por SARS-CoV-2, totalizando 414.910 casos de infeção e 5.595 óbitos desde o início da crise pandémica.

Na região Centro registaram-se mais 46 casos, perfazendo 145.821 infeções e 3.177 mortos.

No Alentejo foram assinalados quatro novos casos de infeção, totalizando 40.011 contágios e 1.051 mortos desde o início da pandemia.

Na região do Algarve, o boletim da DGS contabiliza 24 novos casos, acumulando-se 43.684 contágios pelo SARS-CoV-2 e 479 óbitos.

A região Autónoma da Madeira contabilizou 20 novos casos, somando 12.575 infeções e 73 mortes devido à doença covid-19 desde março de 2020.

Nas últimas 24 horas, e segundo a DGS, os Açores registaram 11 novos casos, o que eleva para 9.258 contágios desde o início da pandemia e 45 mortes devido à doença.

As autoridades regionais dos Açores e da Madeira divulgam diariamente os seus dados, que podem não coincidir com a informação divulgada no boletim da DGS.

A taxa de incidência de infeções com SARS-CoV-2 nos últimos 14 dias a nível nacional continua a subir situando-se nos 92,4 casos por 100 mil habitantes assim como o índice de transmissibilidade (Rt) que é agora de 1,06.

Segundo o boletim epidemiológico conjunto da Direção-Geral da Saúde e do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge divulgado, a nível nacional a taxa de incidência subiu de 86,1 para 92,4 casos de infeção por 100 mil habitantes.

Em Portugal continental, este indicador registou também uma subida passando dos 86,5 para 92,8 casos por 100 mil habitantes.

O Rt - que estima o número de casos secundários de infeção resultantes de cada pessoa portadora do vírus - subiu de 1,02 para 1,06 a nível nacional e em Portugal continental.

Os dados do Rt e da incidência de novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias - indicadores que compõem a matriz de risco de acompanhamento da pandemia - são atualizados pelas autoridades de saúde à segunda-feira, à quarta-feira e à sexta-feira.

De acordo com o portal do Governo para a covid-19, "a monitorização da evolução da pandemia continuará a ser feita com base nos indicadores de incidência e Rt, adaptados de acordo com a evolução da vacinação (nível de alerta é de 240, nível de risco é de 480)".

António Guimarães