Poucas horas depois de uma família ter morrido intoxicada numa habitação no concelho de Sabrosa, também no distrito de Vila Real, três pessoas – uma idosa e duas crianças – foram encontradas com sinais de tonturas, mas conscientes. A mulher e os menores foram transportados para o hospital.

O alerta para este segundo caso foi dado às 23:04 de domingo. Os bombeiros encontraram um mulher de 76 anos caída e mais duas crianças, de 9 anos e 10 meses, e uma braseira na habitação.

O presidente da Câmara de Sabrosa alertou esta segunda-feira para os perigos escondidos dentro das casas durante o Inverno.

Domingos Carvas deslocou-se no domingo à noite a casa da família que foi encontrada morta na aldeia de Fermentões.

O autarca referiu que, todos os anos, há relatos de situações de intoxicações por inalação de monóxido de carbono e alertou para os perigos que se escondem dentro das habitações no Inverno, já que as casas ficam mais fechadas por causa do frio.

Perigos esses que derivam das lareiras, das braseiras ou das salamandras.

A família que morreu corresponde a um casal, as filhas e um irmão do homem. O casal e as meninas residiam durante a semana numa quinta do Douro, onde os adultos trabalhavam, e só aos fins de semana iam a Fermentões onde estavam a fazer obras de melhoria na habitação.

O vizinho Álvaro Guedes disse que já tinha, inclusive, alertado para o perigo que representava ter um gerador dentro de casa.

Era este gerador que alimentava a eletricidade da habitação. As obras estavam praticamente concluídas e só faltava a EDP fazer a ligação da eletricidade.