O romance «Debaixo de algum céu», de Nuno Camarneiro, é o vencedor do Prémio LeYa, com o valor pecuniário de cem mil euros, noticia a agência Lusa. A divulgação foi feita esta segunda-feira o presidente do júri, Manuel Alegre, na sede do grupo editorial.

Nascido em 1977 na Figueira da Foz, Nuno Camarneiro publicou em coletâneas e revistas até se estrear com o romance «No meu peito não cabem pássaros».

O Prémio LeYa é-lhe agora atribuído pelo romance «Debaixo de algum céu», tendo sido decidido por maioria, segundo o júri, perante mais de de 270 obras originais a concurso.

Além de Manuel Alegre, o júri foi constituído ainda pelos escritores Nuno Júdice, Pepetela e José Castello, por José Carlos Seabra Pereira, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Lourenço do Rosário, reitor do Instituto Superior Politécnico e Universitário de Maputo, e Rita Chaves, crítica literária e professora da Universidade de São Paulo.

O Prémio LeYa foi criado pelo grupo editorial que reúne mais de uma dezenas de editoras e chancelas de Portugal, Angola, Moçambique e Brasil, e o intuito do galardão é distinguir um romance inédito escrito em português.

O romance vencedor no ano passado foi «O teu rosto será o último», de João Ricardo Pedro, o primeiro autor português a receber o prémio. O engenheiro de profissão, escreveu o romance enquanto se encontrava desempregado.

Em anos anteriores venceram o prémio «O Rastro do Jaguar», do jornalista brasileiro Murilo Carvalho, em 2008, e «O Olho de Hertzog», do escritor moçambicano João Paulo Borges Coelho, em 2009.

Na edição de 2010 o júri decidiu, por unanimidade, não atribuir o Prémio LeYa, dada a falta de qualidade dos originais apresentados.
Redação