Desde o início do ano já morreram 561 pessoas em acidentes de viação, quase menos 100 pessoas do que em igual período do ano passado, revelam dados divulgados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

De acordo com os dados que contabilizam o número de vítimas mortais, feridos graves e feridos ligeiros, desde 1 de janeiro e até 15 de dezembro morreram nas estradas portuguesas 561 pessoas, quase menos 100 vítimas mortais que as 656 registadas em igual período de 2011.

Para o mesmo período, a ANSR contabilizou 1936 feridos graves em resultado de acidentes rodoviários, contra os 2323 registados em 2011.

Só entre 08 e 15 de dezembro morreram 20 pessoas e 36 ficaram feridas com gravidade nas estradas nacionais, de acordo com as informações enviadas pela PSP (Polícia de Segurança Pública) e GNR (Guarda Nacional Republicana) à ANSR.

Lisboa e Porto mantêm-se como os distritos onde a sinistralidade provoca mais mortos e feridos graves, ainda que a tendência seja para uma queda nos números, sobretudo no que se refere às vítimas com ferimentos graves.

Quanto a feridos ligeiros, a ANSR registou 34176 casos este ano, quase menos quatro mil casos que em 2011.

Numa análise ao longo de um ano, entre 16 de dezembro de 2011 e 15 de dezembro de 2012, os números da ANSR indicam 594 mortes por acidente de viação, uma quebra face aos 700 registados no período homólogo.

A tendência de quebra mantém-se para os registos de feridos graves no mesmo período de análise.

Os dados da ANSR referem-se apenas aos acidentes de viação em território continental e o conceito de vítima mortal aplica-se apenas aos casos das mortes ocorridas no local do acidente ou durante o transporte para a unidade de saúde, clarificou a ANSR.
Redação