O verão de 2020 foi o 13.º mais quente dos últimos 90 anos e muito seco, tendo registado temperaturas médias do ar superiores ao normal, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o Boletim Climatológico disponível hoje no site do IPMA, no verão deste ano regista-se um valor médio da temperatura do ar de 22,42 graus Celsius (+1,17 graus em relação ao valor normal).

Desde 1931, verificou-se, segundo o IPMA, que nove dos 15 verões mais quentes ocorreram depois do ano 2000, sendo 2005 o mais quente.

O valor médio da temperatura máxima do ar, 29,76 graus Celsius (+ 2,13 graus em relação ao normal), foi o sexto mais alto desde 2000.

A temperatura mínima do ar (15,8 graus), foi também superior ao normal, de acordo com o boletim.

No que diz respeito à precipitação ocorrida nos meses de junho a agosto (26,7 milímetros), foi inferior ao normal e corresponde a cerca de 45% do valor médio.

Entre os três meses de verão analisados apenas o mês de agosto foi próximo do normal no que se refere à precipitação. Nos restantes meses, os totais foram inferiores ao valor médio, em especial no mês de junho.

/ LF