É um relatório demolidor que revela pagamentos em dinheiro, contratos desastrosos e ajustes diretos sem explicação na Guarda Nacional Republicana.

A investigação da TVI teve acesso a auditoria classificada como reservada que revela ausência de controlo dentro da GNR, tudo com graves prejuízos para o Estado.

Nesta reportagem, veja a lista de decisões que levantam graves dúvidas sobre a atuação da GNR

Para ter uma ideia, num relatório de 65 páginas da Inspeção-Geral da Administração Interna, os inspetores sublinham o “carácter reiterado e sistémico destas irregularidades poderão constituir violações com impacto ao nível da responsabilidade financeira”.

Numa carta interna da GNR, a que a TVI teve acesso, é mesmo admitida a possibilidade de responsabilização criminal.

Mais uma vez, nem o ministro da Administração Interna, nem o comandante geral da GNR quiseram responder às perguntas incómodas da TVI. Eduardo Cabrita não esclareceu sequer porque é que ainda não enviou a auditoria para o Ministério Público, limitando-se a referir através do seu gabinete que ainda estão a analisar o documento. Já passaram quatro meses.

Veja também: