A Polícia Judiciária (PJ) acredita que foi o hacker Rui Pinto que divulgou os mais de 715 mil ficheiros do caso que ficou conhecido como "Luanda Leaks" e que envolve várias personalidades, com destaque para a empresária Isabel dos Santos.

Segundo o jornal Público, na base das suspeitas dos inspetores está o facto de muitos dos documentos fazerem parte do processo em que Rui Pinto está acusado de 90 crimes no âmbito do processo "Football Leaks". Alguns desses ficheiros serão coincidentes com outros encontrados nos discos rígidos e computadores que a PJ apreendeu ao pirata informático na Hungria.

Apesar de já terem conseguido aceder a parte da informação, os inspetores admitem que continuam muitos ficheiros por desencriptar.

O Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação revelou no domingo mais de 715 mil ficheiros, sob o nome de "Luanda Leaks", que detalham esquemas financeiros de Isabel dos Santos e do marido, Sindika Dokolo, que terão permitido retirar dinheiro do erário público angolano, utilizando paraísos fiscais.

O fundador deste consórcio é William Bourdon, um dos advogados de Rui Pinto, o que também fez levantar as suspeitas das autoridades.

/ AG