Uma rapariga de 17 anos, aluna da Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes, em Portimão, foi contagiada com o novo coronavírus , avançou a presidente da Câmara Municipal, Isilda Gomes, à TVI.

Trata-se do primeiro caso confirmado a Sul do país, num momento em que a DGS afirma que existem 30 portugueses contagiados com o Covid-19.

A jovem esteve em Itália, na semana de interrupção do Carnaval. "Ao retornar, contactou a Linha Saúde 24, que lhe deu instruções para monitorizar a sua situação clínica e cumprir algumas regras sociais e de higiene pessoal, mas que podia fazer a sua vida normal",  adianta a nota divulgada na página na internet do Agrupamento de Escolas Manuel Teixeira Gomes em Portimão.

A estudante regressou à escola em 27 de fevereiro e “foi diariamente acompanhada pela equipa do SNS24” e hoje “foi-lhe diagnosticado o vírus Covid-19”, prossegue o comunicado.

As autoridades de saúde decretaram o encerramento daquele estabelecimento de ensino e “os alunos que estiveram em contacto direto com a aluna irão ser contactados e poderão ficar em isolamento social durante 14 dias, nas suas residências”.

A nota acrescenta que a medida de isolamento também poderá ser aplicada aos professores e funcionários da escola que contactaram com a estudante.

Ao que a TVI conseguiu apurar, a jovem está internada no Hospital Dona Estefânia.

Pessoas que contactaram com caso de Portimão devem manter "distância social"

 A delegada de saúde pública de Portimão apelou este domingo às pessoas que estiveram em contacto com uma aluna do ensino secundário infetada com Covid-19 que adotem medidas de “distanciamento social” para evitar a propagação do vírus.

Pelo menos até 20 de março toda a comunidade escolar deve monitorizar eventuais sintomas, adotando comportamentos de higienização e distanciamento social”, declarou a delegada de saúde pública Maria Filomena Agostinho, sublinhando que quem teve “contacto próximo” com a aluna “receberá dos serviços [Linha SNS24] uma indicação direta”.

Aquela responsável, que falava aos jornalistas após uma reunião no Centro Municipal de Proteção Civil e Operações de Socorro de Portimão, sublinhou que a Direção-Geral da Saúde (DGS) irá monitorizar a situação durante o período de encerramento da escola frequentada pela aluna, que vigora a partir de segunda-feira.

A reunião, convocada de emergência após a confirmação do caso, o primeiro a ser reportado no sul do país, juntou autoridades de Saúde, Proteção Civil, a direção da Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes e diretores de turma.

Questionada acerca do estado de saúde do resto da família da aluna, a delegada de saúde pública de Portimão adiantou que “ainda aguardam os resultados [aos testes de despiste do novo coronavírus]”, mas que “estão todos bem”.

Segundo Maria Filomena Agostinho, os diretores de turma ficaram incumbidos de contactar “os encarregados de educação para lhes comunicar o encerramento da escola”, de forma a que não fossem “apanhados de surpresa com os portões fechados”.

Relativamente à interrupção letiva e possíveis compensações, aquela responsável indicou que será depois a Direção Regional de Educação a pronunciar-se, mas sublinhou que se trata de uma questão a que aquele organismo está “sensível”, uma vez que as “próximas semanas seriam de testes e exames”.

A delegada de saúde pública de Portimão frisou ainda que o país “se encontra em fase de contenção alargada” e que “o cidadão deverá ser o primeiro a contribuir para a contenção”, acrescentando que, para já, esta é a única escola a encerrar na cidade algarvia.

Henrique Magalhães Claudino / Com Lusa