O número de reclusos em Portugal infetados com o novo coronavírus atinge hoje 64, a maior parte dos quais no estabelecimento de Izeda, no concelho de Bragança, divulgou hoje a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais.

O primeiro caso naquela prisão foi detetado em 28 de dezembro, e “ao presente momento e em todo o estabelecimento prisional de Izeda há 45 reclusos com resultado positivo” de infeção pelo novo coronavírus repartidos por duas alas.

Os 11 primeiros reclusos a serem contagiados estão internados nos serviços clínicos do Estabelecimento Prisional do Porto e os outros 34 continuam em Izeda, “separados e isolados da restante população prisional”, e com acompanhamento médico permanente, lê-se num comunicado daquela direção-geral.

Os casos que não estão internados são assintomáticos, referem os Serviços Prisionais, acrescentando que um dos casos detetados em Izeda é de um trabalhador.

Entre as 20.000 pessoas que integram o universo das prisões em Portugal, incluindo trabalhadores, reclusos e jovens em centros educativos, há 64 reclusos com casos ativos (de um total de 11.228) e 34 trabalhadores.

Desde que o novo coronavírus foi detetado em Portugal, em março passado, 413 casos entre reclusos foram dados como recuperados, tal como 299 trabalhadores dos serviços prisionais e quatro jovens internados em centros educativos.

/ AG